Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As birras da mãe

Venturas e desventuras de uma tripeira que rumou a sul. As histórias da filha, da mulher e da mãe.

Hora da paparoca - papas caseiras

 

go tothe beach (1).jpg

 

Na verdade, devo já informar-vos que nunca pensei em me transformar na mãe que faz as papas para os filhos. E quem diz papas diz pacotinhos de fruta ou bolachas. A bem da verdade, estava longe de imaginar que me ia transformar naquelas mães que eu tanto abominava por "esfregarem na minha cara" a sua "perfeição". E estou já a por-vos ao corrente disto para não ficarem já a pensar "olha-me esta, tem a mania que é saudavelzinha e que os filhos não comem açúcar!" Na realidade, eles comem açúcar sim, bolachas  e frutas de pacote como todos os outros mas como excepção e não como regra. Não sei se me fiz entender, mas é do género a Madalena come frutas de pacote mas não diariamente, diariamente come fruta a sério. Perceberam a ideia? Nem sempre, nem nunca.

Quando chegou a altura de introduzir a alimentação complementar à Madalena fiquei a saber que o pediatra dela era apologista de se começar pelas papas. "Como assim pelas papas? Mas eu sempre ouvi que se deveria começar pelas sopas para depois não estranharem o doce..." Confiei no médico mas antes de as comprar e com o intuito de encontrar melhor relação qualidade/preço fui dar um olhadela para os rótulos e, meus amigos, ia tendo um chelique! "Qué esta merda?! 40 gramas de açúcar em 100?!" Aqui é que foi o ponto de viragem - deixei de olhar para as papas caseiras (e para quem as faz) com o desdém de quem se sente inferiorizado. Como toda a gente, achava que este tipo de papas além de serem feitas por pessoas que não fazem mais nada da vida sem ser cuidar dos filhos (NÃO) e que não trabalham fora de casa (QUEM ME DERA) e assim, conforme prometido, aqui estou para vos mostrar que isto não é nenhum bicho de sete cabeças nem exclusivo das fadas do lar, que eu tanto olhava de lado.

Então para começo de conversa há que ter em conta algumas considerações antes de comprar os cereais ou as farinhas. Inicialmente devemos introduzir apenas cereais sem glúten por isso devemos privilegiar a aveia (que indique na embalagem que não tem glúten, pois se não disser isso pode ter por contaminação ou das colheitas ou da maquinaria utilizada para a processar e embalar), arroz , trigo sarraceno (que nada tem a ver com o trigo comum e é glúten free), alfarroba ou farinha de coco. Com glúten podemos utilizar o trigo integral (por ser nutricionalmente mais interessante), a espelta, a cevada ou o centeio.

Comprar os cereais em flocos é sempre uma opção mais inteligente, quer economicamente falando porque é sempre mais barato do que as farinhas - vejam por exemplo a diferença do valor de uma farinha de arroz ou do arroz em si ou do coco ralado para a farinha de coco, quer por terem a possibilidade de os demolhar previamente, pelo menos por um par de horas, para que os fitatos (ou ácido fitico) seja eliminado potenciando assim a absorção de todos os minerais presentes nos cereais. 

"Então e os bebés comem assim as papas sem açúcar?"

Primeiro não se esqueçam que além de o paladar deles não estar ainda viciado em açúcar como o nosso (não escrevi viciado entre aspas propositadamente pois está provado que a dependência provocada pelo açúcar no organismo é semelhante à das drogas pesadas) e segundo se que cozermos os cereais juntamente com fruta, ela não só vai enriquecer nutricionalmente a papa como vai adoçá-la :)

Passando à parte prática da coisa:

Papa cereais e fruta.jpg

Há lá coisa mais simples que isto?! Se até eu me safo =D

Estas quantidades dão para cerca de 3 refeições que podem ser conservadas no frio uns 3 dias.

A Madalena sempre levou para a escola e na hora do lanche era só aquecer. Ainda me lembro da cara da educadora quando lhe disse que a papa já vinha feita de casa e que era só aquecer! Impagável! AHAHAHAHA Mas dois dias depois estava a pedir-me as receitas porque tinha "tomado a liberdade de provar" :P Ou seja, convencem até os mais cépticos.

Como o Mateus ainda mama bastante (tipo bar aberto), cá em casa optamos por não adicionar leite nenhum mas se o seu filho já não mama ou tem apenas uma ou duas refeições de leite pode adicionar, conforme as indicações acima.

Depois entre as possibilidades de conjugação dos diferentes cereais e frutas, o céu é o limite. Para a Madalena agora e porque já está mais gulosa, atendendo que come ocasionalmente das industrializadas, adiciono uma pitada de canela e uma colher de chá de mel.

Espero que os gorduchos gostem! AH e vocês também =P!

 

1 comentário

Comentar post